18 de julho de 2012

Imóveis de Luxo por Cotas.

imovel de luxo


Novo conceito de comercialização imobiliária permite a aquisição de imóveis de luxo, destinados ao lazer, em um sistema fracionado, sendo possível adquirir mansões, que valem milhões de reais, por valores bem menores.



Na prática, o interessado compra frações ou cotas das casas ou apartamentos, que lhe dará direito de usufruir os imóveis de duas a quatro semanas no ano. Cada casa é vendida para 8 ou 12 pessoas ao mesmo tempo, tendo todos a escritura do imóvel.

Um imóvel, por exemplo, avaliado em R$ 2 milhões e vendido para 12 pessoas, sai, para cada um, por aproximadamente R$ 180 mil.

E cada um dos proprietários terá o direito de usufruir a residência por quatro semanas no ano, sendo duas semanas na alta estação e duas na baixa. É uma forma de adquirir um imóvel de alto padrão por um preço mais baixo em relação ao valor integral do empreendimento.

Intermediação:

Quem faz a intermediação entre a construtora do empreendimento e o interessado em comprar os imóveis é a RCI Internacional. De acordo com o Diretor Brasil, Alejandro Moreno, a modalidade de venda já está consolidada fora do Brasil e parece ser uma tendência no País.

“É bastante interessante principalmente pela questão da segunda residência. Normalmente as pessoas compram uma casa na praia com investimento alto e pouca utilização”, avalia. Ou seja, a segunda residência acaba tendo uma ociosidade muito grande enquanto “a compra fracionada é muito mais racional”, diz.

Baixo Investimento:

Comprar na modalidade fracionada permite um investimento mais baixo, para um imóvel de alto padrão e com uma utilização muito mais intensa.

imoveis de luxo


Além disso, o dono de cada fração tem o direito de fazer o que desejar com suas semanas de uso. Pode alugar para terceiro e emprestar para amigos, basta respeitar as regras impostas no contrato.




É uma forma de não perder dinheiro com a segunda residência, já que muitas vezes ter um imóvel para lazer é visto mais como uma despesa do que qualquer outra coisa.

“A segunda residência normalmente fica parada a maior parte do ano. E quando o proprietário chega tem muito mais dor de cabeça, com a lista de itens que o caseiro apresenta para que sejam consertados, do que tranqüilidade”.

Na modalidade fracionada, ainda conforme explica Moreno, é preciso pagar um taxa mensal para a manutenção do imóvel, como um condomínio, mas a casa está sempre pronta para receber os proprietários.

Uso Racional:

Além de permitir a aquisição de imóveis de luxo por preços mais acessíveis, Moreno ainda ressalta que é uma forma muito mais consciente de usar as casas “o imóvel não fica parado”, diz.

Atualmente, a RCI trabalha com 9 empreendimentos de luxo que são comercializados na modalidade fracionada, com perspectiva de crescimento no Brasil.

Apesar de os imóveis serem de alto padrão, o público para essa modalidade não são pessoas extremamente ricas, classe AAA, mas sim aquela classe que embora tenha poder aquisitivo alto, não necessariamente teria condições de comprar o imóvel sozinho.

Ultimas do Artigo:

imoveis de luxo


O Diretor Brasil da RCI, Alejandro Moreno, recebe nesta quarta e quinta-feira, dia 18 e 19, em São Paulo, o diretor da Teixeira Holzmann Empreendimentos Imobiliários, Marcos Holzmann.




Os executivos além de visitarem empreendimentos, debatem sobre o mercado que cresce a cada no País. A construtora afiliada ao sistema de férias compartilhadas da RCI aposta no segmento de imóveis de alto padrão e na implantação de uma rede de hotéis resort. 

Os Empreendimentos estão distribuídos em cinco estados brasileiros Paraná (PR), São Paulo (SP), Mato Grosso (MT), Espírito Santo (ES) e Rio de Janeiro (RJ). A Teixeira Holzmann tem sede em Londrina (PR) e detém hoje um capital de 10 milhões de m² de áreas empreendidas ou em desenvolvimento.

Serviços:




Por: Viviam Klanfer Nunes.

Edição e Publicação | Equipe | Imovel e Dicas

Um comentário:

Marla Ernst disse...

Adorei a matéria, achei fantástico pois estão construíndo um empreendimento aqui no RGS, 40 mil reais (míseros 40 mil), em Gramado você não compra nada por menos 400 mil reais, são 28 dias, dá pra vender a semana e pagar o condomínio, vender a semana para pagar o investimento ou trocar as semanas por outros empreendimentos espalhados pelo mundo, e o melhor fica aqui perto de casa, dá pra ficar de olho observando o gado engordar. Atualmente a forma de hospedagem para quem não dispõe de mais de 400 mil para investir é ficar em pousadas ou hotéis e pagar, com esse sistema torna-se muito barato viajar, diria até lucrativo, pois o que não se despende passa a ser lucro. Marla Ernst

Postar um comentário

Deixe seu Nome e Email ao final da Mensagem, caso deseje alguma informação específica.

Atenciosamente.

Brasil Brokers Enjoy