31 de julho de 2012

Copa e Olimpíada no Brasil x Preços dos Imóveis.

preços de imoveis



O Brasil sediará, nos próximos anos, dois dos maiores eventos esportivos mundiais: A Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016. 




Com isso o País corre contra o tempo para deixar toda a estrutura pronta, e vê vários setores da sua economia sendo movimentados. Além do impacto na economia! Os eventos vão mudar a vida e a rotina de muitas pessoas. 

Segundo uma pesquisa do IBOPE divulgada no ano passado, enquanto 25% dos brasileiros disseram ter muito interesse na Copa de 2014, 27% disseram ter interesse, mas não muito, e 26% responderam que não tem interesse algum. 

Mais talvez os 53% que disseram não ter muito, ou nenhum interesse saibam, é que não terão como escapar dos efeitos dos dois eventos. Principalmente os moradores das cidades-sede e os que residem em bairros próximos a estádios ou complexos esportivos onde serão disputados jogos e modalidades olímpicas. 

Suas vidas e rotinas serão alteradas, como o tempo que levarão para chegar ao trabalho ou a dificuldade em vender o imóvel, já que o impacto dos eventos já aparecem em alguns segmentos, principalmente no imobiliário. 

Segundo os especialistas do setor, os imóveis na cidade devem sofrer nova valorização nos bairros próximos aos estádios e locais onde serão disputadas as partidas da Copa e demais modalidades das Olimpíadas, como, por exemplo, os imóveis à venda em Santa Teresa no Rio de Janeiro. 

preços de imoveis



A cidade maravilhosa será uma das sedes da Copa de 2014, receberá inclusive a final, e também é a principal sede das Olimpíadas de 2016. 




A valorização imobiliária já pode ser vista especialmente nos arredores do Maracanã, do Centro Esportivo Miécimo da Silva e do Estádio João Havelange (Engenhão). 

Os especialistas prevêem, no entanto, uma nova valorização tendo como base os jogos Pan-Americanos, disputados na cidade em 2007. Na ocasião, o valor cobrado pelo metro quadrado no bairro do Méier, por exemplo, onde fica o estádio do Engenhão, subiu cerca de 40%, segundo informações oficiais da organização do evento na época. 

Outra região do Rio que vê a valorização de seus imóveis é a Avenida Abelardo Bueno, na Barra. Lá estão localizados o Velódromo, o Parque Aquático Maria Lenk e a Arena HSBC, todos construídos para o Pan e que também serão utilizados nos Jogos Olímpicos. 

Além disso, a avenida fica próxima ao Riocentro, que também receberá competições. As estatísticas mostram que nos últimos cinco anos o metro quadrado da região teve uma valorização de 70%. 

Hoje, o preço do metro quadrado na Barra beira os R$ 7.657 mil, e este número pode até aumentar com a proximidade dos eventos e a conseqüente maior procura, um exemplo, é a valorização que ocorre em alguns bairros de Londres, relativo aos investimentos realizados em infra-estrutura das Olimpíadas. 

E os outros Bairros? 

preços dos imoveis



A valorização do imóvel não chega a ser um problema para bairros nobres como a Barra da Tijuca! 




Segundo uma pesquisa da revista Exame, realizada no começo deste ano, se por um lado o preço do metro quadrado na região passa dos R$ 7 mil, como citado acima, a renda média da população que reside ali é de mais de R$ 10 mil. 

Mais e os bairros menos nobres? A população que reside neles conseguirá acompanhar esta valorização? Segundo divulgado pela imprensa, o estádio do Maracanã, que receberá a final da Copa do Mundo em 2014, terá um investimento de R$ 600 milhões para ser reformado. 

Isso mexe diretamente com bairros que estão próximos ao estádio, como Vila Isabel, Tijuca e São Cristóvão. Se na Barra a população tem poder aquisitivo para acompanhar a valorização, o mesmo não acontece com alguns bairros como São Cristóvão. Hoje, o metro quadrado na região custa cerca de R$ 4.464 mil, enquanto a renda familiar da população do bairro é de R$ 2,5 mil. 

Se a projeção dos especialistas e investidores se confirmar, e os imóveis tiverem nova valorização, o metro quadrado em bairros como São Cristóvão e Santa Teresa podem saltar de R$ 4.464 mil para mais de R$ 6 mil. O que provavelmente não vai aumentar é a renda familiar da população dos bairros, que continuará, respectivamente, na casa dos R$ 2,5 mil e R$ 3 mil. 

O que tudo isso significa, é que os perfis dos moradores de alguns bairros podem mudar radicalmente, já que obviamente as pessoas procuram casas dentro de suas possibilidades financeiras. O público que procura, por exemplo, imóveis em São Cristóvão podem deixar de fazê-lo em função de um reajuste especulativo de valores na Copa de 2014 ou Olimpíadas em 2016.

Serviços:




Por: Thiago Capodeferro.
Consulta: Webartigos 

Edição, Atualização e Publicação | Equipe | Imovel e Dicas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Nome e Email ao final da Mensagem, caso deseje alguma informação específica.

Atenciosamente.

Brasil Brokers Enjoy