19 de dezembro de 2012

Aluguel sobe mais que a Inflação.

reajuste de aluguel



Nos últimos 12 meses encerrados em novembro deste ano, a cidade de São Paulo registrou alta de 8,61% no valor médio de locações de casas e apartamentos. 



De acordo com o Secovi-SP, ainda que o percentual seja superior aos 5,53% da variação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) no período, e aos 6,96% do IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), indicador que corrige a maioria dos contratos de aluguel em andamento, este é o menor aumento desde fevereiro de 2010.

“Não dá para dizer que o valor do aluguel residencial se estabilizará, afinal a demanda por imóveis para locação segue muito superior à oferta na Capital. Mas esse índice de 8,61% é uma boa notícia para o segmento, porque é o mais baixo desde fevereiro de 2010, quando o acumulado em 12 meses atingiu 8,4%”, analisa o vice-presidente de gestão patrimonial e locação do Secovi-SP, Walter Cardoso.

Considerando o comportamento mensal, entre os meses de outubro e novembro de 2012, o valor médio de locação na capital paulista registrou acréscimo de 1,1%. Um mês antes, em outubro, a alta de aluguéis de casas, sobrados e apartamentos, em comparação ao mês imediatamente anterior, havia sido de 1,2%. 

Imóveis de três dormitórios tiveram as maiores Altas:

reajuste de aluguel


Em média, na comparação com outubro, os imóveis que tiveram maior elevação nos valores locatícios foram os de três dormitórios, com aumento médio de 1,6% em novembro deste ano.




As unidades de dois dormitórios aparecem em seguida, com acréscimo na ordem de 1%, enquanto que as residências de um dormitório aumentaram 0,8% no período.

Em novembro, as casas e sobrados foram alugados em um intervalo médio de 12 a 33 dias. Já os apartamentos demoraram um pouco mais: 18 a 38 dias, segundo apontou o IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede o número de dias de espera até que o contrato de locação seja assinado.

Considerando as garantias, 47,5% dos contratos utilizaram o fiador no penúltimo mês do ano, outros 32% optaram pelo depósito de até três aluguéis. Já o seguro-fiança foi utilizado por cerca de 20,5% dos contratos.

Serviços Relacionados:




Fonte: InfoMoney

Edição e Publicação | Equipe | Imovel e Dicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Nome e Email ao final da Mensagem, caso deseje alguma informação específica.

Atenciosamente.

Brasil Brokers Enjoy