17 de janeiro de 2013

Imobiliárias de luxo comemoram Resultados.

compra de imoveis


A casa que ocupa quase um quarteirão inteiro no Jardim América, bairro nobre de São Paulo, é um sinal de que nem todo mundo vai mal no mercado imobiliário brasileiro. 




O imóvel, novo, está num terreno de 2 mil metros quadrados. Tem elevador, 16 vagas de garagem, três dependências para empregados, isolamentos acústicos e fechadura com biometria, entre outros detalhes. Em novembro, ele foi comprado pela impressionante quantia de R$ 42 milhões. À vista.

Especula-se no mercado que essa tenha sido a maior transação realizada em 2012 envolvendo um imóvel residencial. Para a imobiliária Coelho da Fonseca, que intermediou o negócio, foi a maior venda já feita em 37 anos de operação. 

Até então, o recorde da empresa era um apartamento na Vila Nova Conceição, vendido por R$ 26 milhões. "Foram sete meses de negociação, no maior absoluto sigilo, já que comprador e vendedor exigem máxima confidencialidade nesses casos", diz Fernando Sita, diretor geral da imobiliária.

A venda da casa no Jardim América é simbólica não só pelo preço. A transação foi uma das últimas de um ano marcante para o segmento imobiliário de luxo. A Coelho da Fonseca, que vende imóveis com valor médio de R$ 1,2 milhão, registrou crescimento de 31% em relação a 2011.

"Foi um recorde na história da empresa", diz Sita. Outras imobiliárias que atuam nesse segmento, como Fernandez Mera e Lopes, também afirmam que nunca venderam tanto imóvel de luxo como em 2012.

Não existem estatísticas consolidadas e oficiais que mostrem a evolução da venda de casas e apartamentos de altíssimo padrão nos últimos anos. Mas alguns dados isolados dão uma pista do que aconteceu no segmento. 

compra de imoveis


A CrediPronto, financeira imobiliária criada pela Lopes em parceria com o banco Itaú, quase dobrou o volume de financiamento para imóveis que valem mais de R$ 1,5 milhão entre 2011 e 2012, ou seja, de 5% para 9%.



As incorporadoras que mais se destacaram na bolsa brasileira no ano passado têm uma forte atuação no mercado de alto padrão. Helbor, Eztec e JHSF, essa última especializada em imóveis de luxo, foram as que mais se valorizaram no ano: 89%, 66% e 62%, respectivamente. 

A atuação dessas companhias chama a atenção porque elas tiveram um bom desempenho justamente num período em que o setor viu as vendas desacelerarem e os preços estabilizarem. Entre janeiro e outubro do ano passado, a venda de imóveis residenciais novos em São Paulo caiu 3,3% enquanto o número de lançamentos despencou 39%.

Milionários

Quando são questionados sobre o bom momento dos imóveis de luxo em 2012, enquanto o setor como um todo encolhia, corretores e executivos dão a mesma explicação e recorrem a um mesmo dado: o aumento do número de milionários no País. Em 2010, 155,4 mil brasileiros tinham patrimônio superior a R$ 1 milhão, segundo levantamento da gestora de ativos RBC Wealth Management. 

No ano seguinte, esse número foi para 165 mil. "O novo rico quer morar bem, porque isso dá status e o posiciona perante a sociedade", diz Marcelo Morales, diretor de desenvolvimento e produto da imobiliária paulistana Fernandez Mera.Mas não é só isso. 

compra de imoveis


A redução das taxas de juros no ano passado também movimentou esse segmento e atraiu compradores que, apesar de terem dinheiro, não tinham o hábito de aplicá-lo em imóveis. 




"Não costumávamos ter executivos do mercado financeiro entre os nossos clientes", diz Bruno Gama, diretor geral da CrediPronto. "Eles não compravam porque eram avessos a tomar crédito, mas com as taxas menores isso começou a mudar".

Executivos da área de tecnologia e de setores que passaram por fortes consolidações nos últimos anos, como o de farmácias e o de educação, também engrossaram a carteira de potenciais compradores de imóveis de luxo em 2012, segundo os corretores. 

"Os interessados em adquirir imóveis de altíssimo padrão também estão mais jovens", diz Marcelo Gurgel, corretor de imóveis de luxo em São Paulo há mais de 40 anos. "Antes eram os pais que compravam, agora são os filhos".

Para atender esse público que desembolsa fortunas por uma casa, as corretoras especializadas têm uma equipe de profissionais exclusiva. Em geral, com nível superior, bilíngüe, e até MBA. 

"Mais importante ainda que a formação é a rede de relacionamentos", diz uma dessas corretoras "private". "Nós freqüentamos os mesmos clubes e as mesmas festas de nossos clientes. E comemoramos os negócios com o melhor champanhe".

Serviços Relacionados:



Por: Naiana Oscar.

Edição e Publicação | Equipe | Imovel e Dicas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Nome e Email ao final da Mensagem, caso deseje alguma informação específica.

Atenciosamente.

Brasil Brokers Enjoy